14 de out de 2009

Como um soco na cara

Nesta semana um grande amigo me deu um soco na cara. Senti muita dor realmente, mas tal atitude me fez repensar o movimento que estou fazendo.
Quando crianças temos as nossas aspirações, o astronauta, o soldado, a bailarina e assim por diante. Mas quando nos tornamos finalmente adultos (agora poderei ser astronauta?) somos desviados e pensamos, "ah criança sonha demais", pois penso que quem sonha demais somos nos, os tais adultos. Sonha em se formar, sonha em arrumar um bom emprego, sonha em casar, sonha em ter filhos, sonha na aposentadoria, sonha em ter um lugar no céu reservado (mais sonhador que isto não existe). E daí, quem é o sonhador mané? A criança que não é, porque apesar de ser difícil a "vida e tragetória" de um astronauta, não é impossível. Os sonhadores somos nos que vivemos das ilusões burguesas, sonhando que um dia seremos os burgueses! Buscando a realização no consumo de forma alienada, num lugar em que o valor da mercadoria é maior que o valor do ser humano, por isso nossa vida é resumida em sonhos burgueses, em fazer o valor que nem ao menos nos pertence.
Decidi nesta manhã que já passou da hora de acordar deste sonho, decidi que já passou da hora de ser um astronauta!
- Meu querido amigo, obrigada pelo soco.

Um comentário:

Menino de papel, Menino de asas disse...

Ei, será que na sua nave cabe mais um??